sexta-feira, 30 de abril de 2010

Amor sem fronteiras 5: Vovó e netinho se amam

Olá.
Já já vou explicar o título desse post e confesso que prefiro mil vezes que um rapaz criado pela avô vire gay do que acontecer algo desse tipo.
Uma senhora dos Estados Unidos assumiu que ama seu neto.
Ok, Welton, e daí, rapaz. Estranho seria se a vó não amasse o neto. A minha me ama.
Sim, maaaaaaaaaaaaaas, a questão aqui é que não é bem amor de avó e neto, gente. É amor de homem e mulher mesmo. o.O

"-Neném qué comidinha!
-Calma, netinho. Vovó vai dar comidinha pro neném!"


A senhora, de nome Pearl Carter, de 72 aninhos, tinha uma filha chamada Lynette Bailey, que foi colocada para adoção quando Pearl tinha 18 anos e não pôde criá-la. Quando soube do falecimento da filha, foi atrás do neto. E foi amor a primeira vista. Claro, é uma avó e um neto. Maaaaaaaaaas, eles desenvolveram foi outro tipo de amor. Aquele mesmo, com tudo que tem direito (inclusive com "comidinha").
E agora Pearl e o neto, chamado Phil Baile, de 26 anos, vivem juntos como um casal comum. E o mais agravante da história incestuosa todinha: vão ter um filho!
Quer dizer, se a gravidez for bem sucedida ( eles pretendem contratar uma barriga de aluguel pra tal empreitada), a senhora será bisavó do próprio filho e o rapaz terá um próprio grau de parentesco em relação ao filho: pai-avô. Bizarro, não?
Trata-se, além de incesto, de uma aberração jurídica. Embora eles sejam parentes biológicos, legalmente não são parentes pelo fato de a mãe do rapaz ter sido entregue à adoção. Isso facilitou o ajuntamento do casal. Maaaaaaas, sei lá. Se por um lado, eles estão felizes juntos, por outro, não se trata de um relacionamento saudável do ponto de vista de nossa sociedade ( não vou mentir que eu mesmo não concordo de jeito nenhum). E pode abrir precedentes para outras relações incestuosas, o que traria problemas de saúde pública, já que a probabilidade de termos crianças com deficiências, devido à baixa variabilidade gênica que seria provocada por relações entre parentes como essa.
Por isso eu defendo que as pessoas procurem não se envolver com parentes. Afinal, como tanta mulher no mundo o cara foi escolher a avó? Com tanto rapaz viril doido por senhoras no mundo, ela tinha que escolher o neto? Por outro lado, eu sou a favor do amor também e eles são adultos. Por isso, lavo minhas mãos sobre o assunto. A justiça de lá que resolva, se já não resolveu.
Li essa inusitada história de amor no G1.
Abraço.

Um comentário:

  1. Eu acho que é clássico encontrar os fatos mais bizarros do mundo pelo G1... Tenho até medo de abrir o site deles...

    ResponderExcluir

A partir de agora, todos podem comentar no blog, incluindo os anônimos. Contudo, para a sua segurança (e para a minha, claro), ele serão moderados. Só passarão os comentários relacionados ao assunto do post. Comentários com ofensas ou agressões não são bem-vindos. No mais, aproveite. Este espaço também é seu. Sabendo usar, não vai faltar.